Mais artigos Gerais

Novas tarifas na conta de luz: a idéia é aumentar o caixa e não conscientizar

    Para o professor da UFPE, Heitor Scalambrini, setor elétrico tem como ingredientes um modelo mercantil; Além da conta de luz, IPVA, IPTU, transporte público e água devem mexer no bolso do trabalhador 

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou, no último dia 1, o novo sistema de bandeiras tarifárias para os consumidores de todo o Brasil. Com isso, a energia ficará mais cara para o consumidor final em tempos de escassez de chuvas, quando as usinas termoelétricas precisam ser ligadas. A novidade só não valerá para os estados do Amazonas, Amapá e Roraima.

Serão três bandeiras: a verde significa que o nível das hidrelétricas está com e a conta não sofre alterações; a amarela, que a produção de energia está ficando mais cara e o consumidor pagará R$ 1,50 a cada 100 MWh consumidos; já a vermelha é sinal de alerta e que as termoelétricas estão sendo mais usadas. Nessa bandeira o consumidor pagará mais R$ 3,00 por 100 MHw.

Em artigo, o professor da Universidade Federal de Pernambuco, Heitor Scalambrini, destaca que o sistema funcionará exclusivamente para reforçar ainda mais o caixa das distribuidoras e não para conscientizar a população. 

“Sabendo-se que o setor elétrico tem como ingredientes um modelo mercantil, uma privatização ‘sem riscos’, dirigentes incompetentes, decisões autoritárias e antidemocráticas, além da notória falta de transparência – o resultado no bolso do consumidor não poderia ser diferente”, analisou.

Scalambrini também destaca a falta de planejamento para se pensar e debater alternativas para o problema energético. “As bandeiras tarifárias estavam previstas para entrar em vigor em janeiro de 2014, mas foi postergada para janeiro de 2015. Mesmo após 12 meses de adiamento, nada foi feito para tornar esta proposta mais conhecida pela população, e mesmo discutida pela sociedade”.

A conta do mês de janeiro já virá com a bandeira vermelha e será cobrada proporcionalmente ao dia do fechamento da fatura.

Menos dinheiro no bolso

Além do novo sistema de cobrança de energia elétrica, o brasileiro terá que pagar diversos outros impostos nesse início de ano. Além do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e dá conta de água, diversas capitais já anunciaram aumentos nas tarifas de ônibus e metrô

Marcello Casal Jr/ ABr

Fonte: Brasil de FAto

Juventude negra realiza Marcha Contra o Extermínio amanhã, quinta-feira

Amanhã, Dia da Consciência Negra, quinta-feira (20), o Fórum Estadual de Juventude Negra do Espírito Santo – FEJUNES realiza a VII Marcha Estadual Contra o Extermínio da Juventude Negra, na capital capixaba.

A concentração será a partir das 08h, no início da Av. Jerônimo Monteiro no Centro de Vitória/ES. O ato público será em frente ao Palácio Anchieta onde diversas organizações do movimento social e jovens terão a oportunidade de se manifestar ao microfone. Cruzes também serão fincadas em memória aos jovens negros assassinados no Espírito Santo este ano. 

Com o tema “Parem de nos matar!!” o Fórum pretende denunciar a ação ou omissão do Estado frente ao extermínio da juventude negra. A Coordenadora do FEJUNES, Silvana Ribeiro, comenta. “Pesquisa recente revela que a Polícia mata seis pessoas por dia no Brasil, ou seja, é a força repressora do Estado eliminando parte de sua população. Além disso, através da inexistência ou ineficácia das políticas, os Governos colaboram para manutenção deste quadro inaceitável de mortes do nosso povo”, destaca. 

A Marcha é realizada desde 2008 e faz parte da Campanha Estadual Contra o Extermínio da Juventude Negra, que desenvolve diversas ações com intuito de mobilizar jovens para o enfrentamento da violência e do racismo. São esperadas caravanas de diversas bairros da Grande Vitória e do interior.

Pautas como a desmilitarização da polícia; implementação da Lei Federal 10.639/03; fim da violência contra mulher;  garantias de acesso à justiça para juventude negra, dentre outras, serão reforçadas.

 Contra retrocessos no Plano Juventude Viva

Durante a Marcha o FEJUNES pretende denunciar alguns retrocessos do Plano Juventude Viva, desenvolvido pelo Governo Federal em parceria com os municípios e o estado, que visa o enfrentar à violência contra a juventude negra.

 Dentre eles, o encerramento do projeto que garantia a presença de articuladores nos municípios responsáveis pela interlocução com gestores e sociedade civil. O projeto era realizado através de uma cooperação técnica entre FIOCRUZ e a Secretaria Nacional de Juventude e assegurava uma maior capilaridade do Plano nos territórios. Com o encerramento o Plano certamente será enfraquecido comprometendo a sua continuidade.

Fonte: FEJUNES

Após declaração do governo sobre chacina de estudantes, o México se levanta! Entenda melhor o caso

Na madrigada desse domingo (9), uma multidão tentou derrubar a porta principal do Palácio Nacional da Cidade do México, em fúria contra o anúncio, feito por dois traficantes de drogas, de que os 43 estudantes desaparecidos foram mortos em uma chacina cruel.

As organizações começaram a se mobilizar a partir deste anúncio, feito no Palácio Nacional e conduzido pelo presidente Enrique Peña Nieto.

Boa parte dos manifestantes fazem parte da Federação de Estudantes Campesinos Socialistas do México. As marcas da revolta são evidantes. Do lado de fora, muros pixados com os dizeres “Nós os queremos vivos”, muitas vidraças quebradas e carros queimados.

O relato dos detidos a respeito do desaparecimento dos jovens foi chocante, e as investigações dão conta de que a polícia local entregou o grupo de estudantes ao cartel do narcotráfico.

Para compreender melhor o contexto político e esta situação delicada e séria contra os direitos humanos, dois fóruns de trabalho no México produziram uma cartilha que explica as relações do Estado com o narcotráfico e de como isso influencia na luta dos movimentos sociais.

Confira o arquivo clicando AQUI. -

Fonte: CSP-Conlutas

ANDES