Palestra 10/8, na Adufes: Como ficam os salários e a carreira dos docentes em 2019?

A palestra sobre a desestruturação e as ameaças - que serão agravadas caso a contrarreforma da previdência seja aprovada – será ministrada por Amauri Fragoso de Medeiros, professor titular da Universidade Federal de Campina Grande, e ex-diretor do Sindicato Nacional (ANDES-SN). Em seguida, haverá happy hour para marcar o início do semestre letivo.

Na sexta-feira, 10 de agosto, às 17 horas, o sindicato recebe na sede da entidade, em Vitória, o professor Amauri Fragoso, ex-tesoureiro do Andes-SN, que abordará a importância da carreira docente para a universidade brasileira e os ataques consolidados em 2012 e que se intensificam até os dias atuais. Durante a apresentação, Amauri mostrará as reais possibilidades (ou não) de a categoria receber o reajuste de 2018 (previsto para sair no contracheque de setembro) e a movimentação do governo para postergar o reajuste de 2019 para 2020, visando congelar o salário do próximo ano.

Além do histórico das alterações, focado nas mudanças geradas pelas 12.772/2012, 12.863/2013 e 13.325/2016, o professor mostrará cálculos sobre as perdas salariais e apresentará os princípios que estruturam a carreira que o Andes-SN defende historicamente. De acordo com Amauri, o governo fez diversas ações para descaracterizar a carreira da categoria, em especial, a Dedicação Exclusiva.

 

  

E como fica a aposentadoria do/a docente, caso a contrarreforma da previdência seja aprovada?  Esse será outro tópico da palestra Como ficam os salários e a carreira dos docentes federais em 2019?   Durante o debate, o professor fará uma retrospectiva das últimas reformas da Previdência, que do seu ponto de vista só tem regredido, tornando-se menos abrangente e menos justa. Na ocasião, ele apresentará os prejuízos para os professores em geral e, sobretudo para aqueles que ingressaram após 2003 e 2013, períodos de mudanças mais severas no sistema previdenciário dos servidores federais. 

Fonte: Adufes

ANDES