Hoje, quarta (28): Ponto de Encontro celebra Consciência Negra com programação cultural na Adufes

O evento promovido pelo Grupo de Trabalho Política de Classe Étnico-Raciais, Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS) da Adufes terá início às 18h30, no sindicato (Campus de Goiabeiras/Ufes). A entrada é franca.

A Adufes realiza um Ponto de Encontro todo especial amanhã, quarta-feira. A atividade que acontece no mês da Consciência Negra terá música ao vivo, lançamento de livro, grupo de dança, roda de conversa, apresentação de capoeira, stand de livros e de bonecas negras.  Será servido um buffet com comidas típicas de matriz Africana.

Com o tema “A universidade na década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024) o encontro será uma oportunidade de destacar a importante contribuição dos/as afrodescendentes para as nossas sociedades e o combate ao racismo, à discriminação racial, à xenofobia e à intolerância.

O professor Gustavo Forde, que é do GTPCEGDS e do Centro de Educação, explica que existem cerca de 200 milhões de pessoas nas Américas que se identificam como afrodescendentes. Muitos vivem em outros lugares do mundo, “sejam como descendentes das vítimas do escravismo criminoso ou como migrantes. Estas pessoas constituem sujeitos da diáspora africana e herdeiros de um amplo legado civilizacional”, disse.

Ele destacou que articular “A universidade na década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024)” com os objetivos do programa das Nações Unidas é uma das finalidades do encontro. “O período também visa garantir o efetivo gozo dos direitos econômicos, sociais, culturais, civis e políticos dos afrodescendentes, e sua participação plena e igual em todos os âmbitos da sociedade”, frisou Forde.

 

Programação

Ponto de Encontro “A universidade na década internacional de Afrodescendentes (2015-2024)”

Data: 28 (quarta-feira)

Horário: 18h30

Local: Adufes – Campos de Goiabeiras/Ufes

18h30 Apresentação - Grupo Arakorin 

ARÁKORIN é um conceito afroperspectivista que pode ser traduzido como corpo que canta. “Esse povo quer as cotas como uma reparação / Só quem pode abrir as portas é nossa senhora educação / Que arrebenta as correntes da mente e liberta o cidadão”.

19h Roda de Conversa e Lançamento do Livro “Africanidades e
Brasilidades: literatura e linguística”

Lula Rocha (Círculo Palmarino)

Jurema Oliveira (UFES)

20h Apresentação - Grupo Capoeira Beribazu. O Grupo considera a capoeira um patrimônio sociocultural universal, relacionando sua prática pedagógica com temas ligados à vida cotidiana, e incentiva seus componentes à reflexão e à crítica, na busca da construção de uma sociedade mais humana e fraterna.

20h30 Show. Melanina MCs e DJ. Integrado exclusivamente por mulheres negras, o Melanina MCs (Afari, Geeh,Lola e Mary Jane) é um grupo de rap que surgiu nas periferias da Grande Vitória (2012) e atua há́ quatro anos contribuindo e com a cena cultural do estado.

 Buffet com comidas típicas de Matriz Africana.  Amalá de Xangô, Xinxim de Oyá, Acarajé de Oyá, Caruru de Ibeji, Vatapá de Oyá e Ibeji, Arroz, Salada de feijão fradinho, Milho cozido, Inhames em rodelas Oxoguian, Acaçá doce, Frutas de Oxóssi, e Canjica branca de Oxalá.

Stand de livros temáticos. Tatiana Rosa e Malek Munah trabalham exclusivamente com livros referenciados nos estudos africanos e afro-brasileiros.

Stand de arte afro-brasileira. Mônica Ferreira, professora e arte educadora, desenvolve atividades com bonecas negras e com Orixás confeccionados a partir de fibras naturais.

Fonte: Adufes

ANDES