Nesta quarta (15M): ato público vai marcar Greve Nacional da Educação em Vitória

Haverá panfletagens nos portões centrais a partir das 6h30 da manhã. A concentração para o protesto será a partir das 16h30, em frente ao Teatro Universitário, campus de Goiabeiras. 

Os/as manifestantes sairão em caminhada até a Assembleia Legislativa do ES (Ales), na Enseada do Suá. A comunidade universitária é contra os cortes no orçamento da educação. O movimento pretende acumular forças para a Greve Geral contra a Reforma da Previdência no dia 14 de junho.

Com livros e até resumo de produções científicas nas mãos, o grupo pretende chamar a atenção da população para o importante papel das universidades públicas e os riscos que as instituições estão correndo, caso os cortes no orçamento feitos pelo governo Bolsonaro não sejam revertidos.

Além do ato, a Greve Nacional da Educação vai ser marcada pela paralisação de 24 horas de diversas categorias que atuam na educação, entre elas os docentes da Ufes e dos Institutos Federais (Ifes) de Vitória, Guarapari, Serra e Cariacica.

Atividades de mobilização. A Mostra Balbúrdia Universitária poderá ser visitada das 13 às 16 horas na passarela coberta do campus de Goiabeiras (próximo ao prédio da Pró-reitoria de Graduação até o Centro Tecnológico). Estarão expostos trabalhos acadêmicos desenvolvidos por estudantes, docentes e técnicos-administrativos da universidade. Lembrando que a mesma pessoa poderá expor mais de um projeto. Para participar basta preencher o formulário aqui.

Outra atividade prevista para esta quarta, 15, é a panfletagem na Avenida Fernando Ferrari, em Vitória. A atividade ocorrerá das 8 às 10 horas. Em seguida, ocorrerá um esquenta no Restaurante Universitário (RU).

Após o almoço, um grupo convocará a comunidade a fortalecer o ato em defesa da educação pública. “Passaremos nas unidades e destacaremos a importância desta atividade que promete parar a Grande Vitória e o país”, diz o presidente da Adufes José Antônio da Rocha Pinto.

Rocha acrescenta que a paralisação unificada é para dizer "basta de ataques à educação, basta de ataques à nossa categoria e não a essa reforma da Previdência que é perversa e seletiva".

Ele ressalta que é fundamental que a comunidade universitária coloque peso nas atividades previstas no calendário de mobilização. “Todas essas ações servirão para mostrarmos para a sociedade porque a reforma da Previdência é tão perversa com a classe trabalhadora. E, principalmente, alertar para a importância da defesa da educação pública, gratuita e de qualidade”, conclui.

Interior. Em São Mateus, estudantes da Ufes e do Instituto Federal aprovaram adesão ao movimento paredista. Os/as manifestantes vão se concentrar em frente ao Centro Universitário Norte do ES (Ceunes), no norte do ES, às 7 horas. 

Fonte: Adufes

ANDES