Vai parar: comunidade da Ufes mobilizada para a Greve Geral desta sexta,14

Docentes, técnicos e estudantes vão se concentrar bem cedo em frente ao portão Norte (altura da Maternidade Santa Úrsula), na Avenida Fernando Ferrari, campus de Goiabeiras/Vitória.  Às 13 horas, manifestantes participam de ato unificado em frente à Federação das Indústrias (Findes), na Reta da Penha, também na capital.  

No ES, a sexta-feira promete ser de intensa mobilização, com atos públicos, panfletagens e ações contra a retirada de direitos e outros retrocessos sinalizados pelo presidente Jair Bolsonaro. Para mobilizar para a Greve Geral, a Adufes, Sintufes e DCE têm dialogado com a comunidade universitária sobre a necessidade de combater a reforma da Previdência e defender a universidade pública diante dos cortes orçamentários.

“Vamos parar as nossas atividades e ir às ruas em defesa da Educação, contra a reforma da Previdência, por emprego e contra o desmonte das políticas sociais. A defesa dos nossos direitos exige luta”, lembra o presidente da Adufes, José Antônio da Rocha Pinto.

Convocação Nacional.  A técnica da Ufes e representante da CSP-Conlutas no ES, Lara Gobira, destaca que mais de 2 milhões de brasileiros foram às ruas nos dias 15 e 30 de maio.  “As centrais sindicais, sindicatos e setores que organizam a classe trabalhadora no campo e na cidade, indicam que as últimas mobilizações deram mais fôlego para a greve geral”. A expectativa, segundo Lara, é que o movimento conte com a participação de trabalhadores e trabalhadoras em transportes, bancos, aeroporto, fábricas, comércio, escolas, e inúmeras outras categorias.

Fonte: Adufes 

ANDES